Como tomar os cuidados necessários com o manuseio de instrumentos – Ambientec

Como tomar os cuidados necessários com o manuseio de instrumentos - Ambientec

As mãos são uma das partes do corpo humano mais propensas a injúrias e acidentes nos locais de trabalho. Muitas das funções executadas em um emprego requerem o esforço excessivo e a exposição destes membros a situações de risco. Exemplos disso são encontrados em setores empresariais, como as serralherias. Assim, equipamentos foram desenvolvidos para proteger as mãos contra quaisquer tipos de calamidades – os chamados EPI’s (equipamentos  de proteção individual) –, e treinamentos foram sendo aplicados para auxiliar os trabalhadores a utilizá-los de forma correta.

Uma das ações preventivas mais conhecidas no ramo trabalhista são as chamadas DDS’s, ou, Diálogo Diário de Segurança. O intuito dessas medidas é de apresentar a área de ofício aos colaboradores, ressaltando os pontos de risco e exemplificando as melhores alternativas para driblá-los. Em relação aos cuidados com o manuseio de equipamentos e elementos químicos, os profissionais encarregados da área de segurança do trabalho devem checar a qualidade e funcionalidade dos EPI’s disponibilizados pela empresa, a fim de assegurar a efetividade dos mesmos. Entre os equipamentos de proteção mais recomendados para as mãos, têm-se: as luvas de PVC, eficazes contra o contato direto entre a pele e solventes químicos; luvas isolantes de borracha, para trabalhos envolvendo circuitos elétricos; luvas nitrílicas, ideais para atividades envolvendo elementos químicos.

O trabalho do profissional de segurança pode ser maximizado pela constante renovação dos treinamentos. Ao implementá-los nas companhias, é possível identificar as principais causas de acidentes e, consequentemente, arquitetar medidas para combate-las. Cada empresa possuiu métodos diferenciados de ensino, mas o que deve se assemelhar entre eles é a conscientização. Um recurso eficiente para pôr em voga os conceitos mais importantes da segurança é a construção de participativos, que são pequenos folhetos informativos, distribuídos em pontos e horários estratégicos, como a hora do almoço; neles, as informações devem ser breves e claras, e com foco definido.

Com isso, os maiores equívocos de segurança podem ser sanados, inclusive nos casos de proteção durante o manuseio de ferramentas e substâncias químicas. Um elemento importante, e referente à utilização das luvas nitrílicas, é o descarte do material no avesso, evitando, assim, a proliferação de fungos e bactérias. Junto a isso, a checagem dos EPI’s, privilegiando o estado de uso e o tempo de manutenção, é irrevogável e definitiva para manter a integridade física dos colaboradores.

Conheça neste link todas as informações de contato da Ambientec, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas – Flexfer

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Segurança, resistência e durabilidade são fatores que precisam ser observados em relação a todo tipo de material e ferramenta que serão utilizados quando o assunto é construção civil.

E quando se trata de ferragem para a obra, esses mesmos fatores precisam ser levados em conta.

A ferragem armada pode ser desenvolvida sob encomenda, o que vai facilitar o trabalho, uma vez que dispensa cortes e dobras no canteiro de obra.

 

Maior segurança para os trabalhadores


Falando em cortes, poucas pessoas param para pensar no assunto, mas o fato de precisar cortar a ferragem no local da obra traz riscos para a saúde do profissional.

Assim, cortes, dobras e manuseio de ferro no local da obra produz ruídos altíssimos, gera poeira e deixa o trabalhador vulnerável à lesões de todos os tipos.

Além do que haverá a necessidade de providenciar os equipamentos necessários tanto para o corte como para a dobra, o que com certeza é indício de um investimento desnecessário se a opção for ferragem armada.

Sem contar que ao cortar as ferragens, sempre se corre o risco das diferenças no tamanho dos cortes, não havendo uma padronização entre eles. As ferragens armadas já vêm todas cortadas por igual, assim você não terá nenhum desperdício.

E o mais importante: além de cortadas, elas vêm dobradas e soldadas dentro das especificações exigidas pelos órgãos competentes.

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

A FLEXFER atua no mercado da construção Civil desde 2005, atendendo todo o país, é uma empresa especializada na fabricação de estribos, blocos, vigas, colunas e, principalmente, em armações para estacas de fundação.

A empresa também produz os estribos contínuos e individuais que são fornecidos de acordo com o projeto ou pedido do cliente. Os estribos são embalados e etiquetados especificando a medida, bitola do aço e quantidade de peças, dessa forma você consegue organizar melhor seu canteiro de obra, identificar e evitar a oxidação do produto.  

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

 

A FLEXFER também fornece vigas, colunas e sapatas armadas que também são fornecidas de acordo com a necessidade do cliente reduzindo ainda mais tempo e desperdício de material.

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

 

As armaduras para estaca de fundação são produzidas em equipamento automatizado de solda, dando mais rigidez e qualidade para a armadura facilitando o manuseio e a introdução das mesmas no concreto.

São produzidas de acordo com o projeto ou especificações do cliente e atendem todo o tipo de perfuração, seja estaca raiz ou hélice contínua.

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

Conheça neste link todas as informações de contato da FLEXFER, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

EPI’s: os capacetes de segurança – Ambientec

EPI’s: os capacetes de segurança - Ambientec

Grande parte dos trabalhadores de uma empresa estão expostos, ou correm riscos diários, de sofrerem algum tipo de acidente. Para retificar possíveis desvios, as Normas Regulamentadoras (NR’s), em voga para todas as empresas de caráter público ou privado, ditam regras pré-estabelecidas com o intuito de certificar a segurança e saúdes física e emocional dos colaboradores. Em especial, a NR6, está diretamente relacionada ao uso dos equipamentos de proteção individual – ou, como jargão comumente utilizado, EPI’s -, que, por obrigatoriedade, devem ser concedidos pelas empresas aos funcionários.

Levando em conta os aspectos mencionados, um dos ramos que podem ser citados e que oferecem algum tipo de risco aos trabalhadores, é o da construção civil. Nesse caso, os colaboradores devem estar equipados com capacetes e cintos de segurança, anexados a um talabarte (gancho de conexão com o ponto de ancoragem). Os capacetes são EPI’s multifuncionais, que reforçam a proteção de outras partes do corpo, como o rosto.

Para maior efetividade, os EPI’s devem ser utilizados corretamente, seguindo algumas recomendações: os capacetes têm de estar com a aba sempre virada para frente, com o intuito de proteger o rosto do funcionário; em locais muito altos e com frequente incidência de ventos fortes, o capacete deve vir acoplado a uma faixa que perpassa pela jugular, assegurando a firmeza do equipamento na cabeça; o EPI não deve ser usado junto a quaisquer outros apetrechos para a cabeça, como bonés e toucas.

Os equipamentos de proteção individual são escolhidos com base na análise prévia do local de trabalho junto à identificação dos possíveis riscos, sendo eles de natureza física, química, biológica, etc. Posteriormente, os empregadores devem fornecer tais EPI’s aos funcionários, verificando, por meio de monitorias exercidas pelos profissionais de segurança, o bom estado de conservação dos equipamentos. Assim, para oficializar as entregar dos EPI’s, o fichamento do aparato de segurança deve ser feito mensalmente, para que todas as entregas sejam fiscalizadas, e para que a quantidade de utensílios seja condizente com a de funcionários.

Conheça neste link todas as informações de contato da Ambientec, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas – Telhas Guabiruba

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas - Telhas Guabiruba

Fonte: Aço Plano

Na hora de construir, aliar tempo e economia de dinheiro são fatores importantíssimos para qualquer obra.

Mas, também é importante observar os tipos de materiais que serão utilizados, bem como a sua funcionalidade e durabilidade.

Afinal, quando o assunto é construir ou reformar uma casa, um edifício ou até mesmo uma indústria, é preciso estar atento para a qualidade dos produtos que serão usados, economizando de forma inteligente.

As estruturas metálicas oferecem vários benefícios para uma obra, mas é preciso saber escolher a telha ideal para usar com elas.

Para ajudar nessa tarefa, vamos mostrar nesse post os principais tipos de telhas e a escolha a ideal para a sua edificação. Continue lendo!

 

Telha de aluzinco

 

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas - Telhas Guabiruba

Fonte: Tibre

As telhas de aluzinco são altamente resistentes, embora sejam extremamente leves.

A sua utilização tem grande impacto na economia financeira, uma vez que são fabricadas sob medida e, dessa forma, evita-se o desperdício.

As telhas de aluzinco apresentam-se como uma das principais soluções de cobertura metálica, por serem do tipo galvalume.

São produzidas por uma liga metálica contendo em sua composição alumínio, zinco e silício, por isso, oferecem grande proteção contra a ferrugem e a corrosão.

Também oferecem maior proteção e segurança, principalmente em casos de tempestades, além de terem uma grande durabilidade, ou seja, uma vida útil bem mais longa do que as telhas que só tem o zinco, na sua composição.

 

Vantagens em usar a telha de aluzinco:

  • Por ser leve, é de fácil transporte e manuseio;
  • É altamente impermeável, o que evita a umidade e goteiras;
  • Vida útil de até 6 vezes mais que outras telhas;
  • Menor necessidade de manutenção;
  • Pode ser pintada, conforme necessidade e gosto do cliente;
  • Pode ser instalada em galpões e prédios industriais, residências, tapumes, edifícios residenciais.

 

Telha termoacústica ou sanduíche

 

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas - Telhas Guabiruba

Fonte: Telhas Guabiruba

A telha termoacústica ou sanduíche ainda é conhecida por um terceiro nome: telha dupla.

São fabricadas com aço galvanizado, alumínio, aço inox ou galvalume, e podem ser encontradas em formatos lisos, ondulados e trapezoidais.

As telhas sanduíches ou termoacústica têm grande resistência contra a corrosão atmosférica e são também altamente resistentes à oxidação.

São ideais para serem usadas em coberturas ou em locais em que se deseja mais conforto térmico e acústico e podem isolar até 70% do calor e do ruído.

Dessa forma, as telhas termoacústicas protegem o ambiente interno do calor e dos ruídos externos, bem como em casos de ventania e chuva.

São fabricadas sob medida, o que evita o desperdício tanto de material, como ajuda de forma significativa na economia financeira.

 

Vantagens em usar a telha termoacústica ou sanduíche:

  • Ajuda a diminuir o consumo de energia elétrica de local onde estiver instalada;
  • Tem alta durabilidade;
  • É de fácil manutenção, sua limpeza pode ser anual para evitar que elas entupam ou oxidem;
  • Dispensam o uso de forro ou laje antes da instalação;
  • Podem ser pintadas;
  • Permitem a instalação de geradores fotovoltaicos.

 

Telha termoacústica bandeja

 

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas - Telhas Guabiruba

Fonte: Telhas Guabiruba

Se você deseja um ambiente com excelente acabamento e, ao mesmo tempo que a cobertura proporcione isolamento térmico e acústico, o ideal é usar a telha termoacústica bandeja.

Extremamente leves, as telhas termoacústicas bandejas são compostas por uma telha trapezoidal ou ondulada e uma chapa trabalhada de aço.

Tem em sua composição o EPS, poliestireno expandido, que faz com que aconteça uma adesão perfeita com o aço, formando um produto altamente rígido, de alta resistência térmica e acústica.

Também tem o nome de telha forro e possui as mesmas características da telha termoacústica, destacando a qualidade do forro branco na parte inferior, o que dispensa o uso de forros.

Seus encaixes são de fácil uso, o que facilita a montagem e aplicação em obras.

 

Vantagens em usar a telha termoacústica bandeja:

  • Proporciona um acabamento estético diferenciado;
  • Oferece maior conforto ao ambiente;
  • Diminui em até 60% do calor e ruído;
  • Reduz gastos de energia elétrica;
  • Redução de barulhos externos;
  • Proporciona ambiente de trabalho com condições bem mais agradáveis;

 

Telha trapézio

 

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas - Telhas Guabiruba

Fonte: Construindo Decor

A telha trapézio ou trapezoidal, como também é conhecida, é usada principalmente para fechar laterais e coberturas e é feita com trapézios fixados por parafusos.

A telha trapézio se destaca pela qualidade no acabamento e pela sua capacidade de inclinação.

Suas especificações são de 40 mm e 25 mm e são produzidas em aço galvalume, pré-pintado e pós-pintado.

Vantagens em usar a telha trapézio:

  • Solução de alta resistência e estanqueidade;
  • Inclinação mínima de 5%;
  • Proporciona alto acabamento;
  • Praticidade e agilidade no uso;
  • Grande durabilidade;
  • Alta resistência.

Agora que você conhece os principais tipos de telhas para usar com estruturas metálicas, entre em contato com a Telhas Guabiruba e solicite um orçamento!

Fonte:
Telhas Guabiruba

Conheça os tipos de telhas para estruturas metálicas - Telhas Guabiruba

A Telhas Guabiruba está situada na cidade de Guabiruba, no Vale do Itajaí, e é especializada em fabricar telhas de qualidade para todas as soluções em cobertura.

A empresa também dispõe de Perfil U para a montagem da estrutura metálica, telha translúcida leitosa, parafusos para fixação, rufos para acabamentos e cumeeiras.

Conheça neste link todas as informações de contato da Telhas Guabiruba, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

A importância do gerenciamento e planejamento de obras – Angulum Engenharia

A importância do gerenciamento e planejamento de obras - Angulum Engenharia

Fonte: Pixabay

Muitas vezes, só o pensar em construir ou reformar traz dor de cabeça, pois é tarefa complicada que exige conhecimento técnico, criatividade e jogo de cintura para driblar os problemas e situações no canteiro de obras.

Problemas envolvendo entrega de mercadorias, equipe de trabalho que não comparece, erros, aborrecimentos e todo tipo de preocupação que estão envolvidos numa construção.

Mas, felizmente hoje já existem alternativas, onde a construção deixa de ser um pesadelo e profissionais capacitados e com experiência planejam e gerenciam a obra.

Continue lendo nosso post e conheça os serviços disponíveis para gerenciamento e planejamento de obras. Leia mais!

 

Acompanhamento e supervisão


Lamentavelmente nem todas as pessoas disponíveis no mercado de trabalho são profissionais.

A área da construção civil tem uma carência muito grande por bons profissionais que, normalmente, não estão disponíveis em função da demanda e são especialistas em determinadas funções, não conhecendo todo o processo.

Como, então, buscar um time de primeira de profissionais capacitados para tocar a obra?

A saída é a contratação de uma empresa especializada na área de engenharia, que conheça todos os detalhes de uma obra e que tenha capacidade de planejar e supervisionar as tarefas e o andamento dos trabalhos.

A importância do gerenciamento e planejamento de obras - Angulum Engenharia

Fonte: Pixabay

 

Tarefas envolvidas na construção da obra


Precisa-se, então, buscar uma empresa que esteja capacitada e que possa acompanhar e gerenciar os seguintes itens:

  • Construção e reformas;
  • Elaboração de projetos, acompanhamento e compatibilização;
  • Gestão da qualidade nas obras (PBQP-H e ISO:9000);
  • Levantamento das patologias e vícios construtivos;
  • Visitas ao canteiro de obras com emissão de relatórios gerenciais;
  • Supervisão de obras para garantia de qualidade, prazos e custos;
  • Gerenciamento de prazos e custos;
  • Vistorias técnicas;
  • Vistorias de entrega das obras.

Em resumo: é essencial ter como aliada uma empresa especializada na área, com equipe de engenheiros e técnicos capacitados em todos os setores da obra, e que tenha capacidade e competência de acompanhar todo o processo da construção.

O gerenciamento é fundamental para o sucesso da empreitada, e nada melhor do que poder dormir tranquilo, sabendo o que está acontecendo por meio de relatórios gerenciais e, mais do que isto, ter a certeza que a obra está em boas mãos.

 

Diferenciais de trabalho


A empresa que gerencia e planeja as obras estará supervisionando o trabalho dos profissionais e das empresas contratadas para o desenvolvimento da construção.

É um trabalho de fiscalização, onde os possíveis erros e enganos são observados em tempo hábil para a resolução do que seria um grande problema.

Mas, é também uma auditoria, onde são verificados se os orçamentos estão sendo cumpridos em termos de custos, se os prazos estão dentro do combinado e se a obra está sendo realizada de acordo com o projeto original.

Isto envolve a avaliação dos materiais utilizados na construção, da aplicação dos sistemas de segurança por parte dos trabalhadores envolvidos e vistorias detalhadas para a liberação dos serviços realizados pelos fornecedores contratados.

A importância do gerenciamento e planejamento de obras - Angulum Engenharia

Fonte: Portal Ambiente Legal

 

E existe uma empresa que faça tudo isto?


Os valores envolvidos numa construção são elevados e só por isto são merecedores de um acompanhamento profissional para que tudo ocorra da maneira correta, no tempo certo e com a qualidade esperada, garantindo assim o retorno esperado do seu dinheiro aplicado.

Existe, sim, uma empresa que realiza estes trabalhos e ela está localizada em Florianópolis, atuando em toda a região e pronta para atender qualquer tipo de obra, seja residencial, comercial ou industrial.

Precisando de uma ajuda com gerenciamento e planejamento de obras, conte com a Angulum Engenharia, empresa que tem por foco a satisfação de seus clientes!

Fontes:
Ministério das Cidades
CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia

A importância do gerenciamento e planejamento de obras - Angulum Engenharia

A Angulum Engenharia e Consultoria é uma empresa catarinense formada por uma equipe técnica capacitada que oferece os serviços de planejamento e gerenciamento de obras.

Contando com uma equipe de profissionais altamente capacitados, a Angulum Engenharia é credenciada junto ao CREA, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia, do estado de Santa Catarina.

O CREA é a organização que garante a confiabilidade de projetos, obras e serviços essenciais para toda nossa sociedade.

Conheça neste link todas as informações de contato da Angulum Engenharia e Consultoria, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

A importância da contratação de fornecedor credenciado – Lajes Continente

A importância da contratação de fornecedor credenciado - Lajes Continente

Fonte: Lajes Continente

Pensando em construir ou fazer aquela reforma em seu imóvel?

Esta decisão incomoda muita gente, uma vez que construções e reformas normalmente são vinculadas e associadas a stress e bagunça.

E isto realmente pode acontecer se alguns cuidados não forem priorizados.

Vamos apresentar neste post a importância de comprar produtos de qualidade e contratar serviços de excelência, continue lendo para saber mais!

 

O barato sai caro


Todos sabem que a economia e a prudência nos gastos são importantes nos dias de hoje, mas, existem assuntos e áreas onde a segurança e a qualidade não podem ser desprezadas e o custo não pode ser o único fator levado em consideração.

A famosa frase “o barato sai caro” é uma verdade que se confirma especialmente na construção civil, onde infelizmente a improvisação e os quebra-galhos são constantes e em pouco tempo o que parecia perfeito se transforma em problemas constantes.

Na esperança de economizar, o investimento já realizado se perde e a busca por solução normalmente faz com que se gaste ainda mais para a resolução do problema que muitas vezes é muito maior do que o problema inicial.

A falta de cuidado e de comprometimento de pseudos profissionais causam prejuízos e decepções a muitos, daí então o stress e as dores de cabeça.

A importância da contratação de fornecedor credenciado - Lajes Continente

Fonte: Revista Zap em Casa

 

Como localizar fornecedores qualificados?


Muitos fornecedores prometem o que não conseguem cumprir como preços muito abaixo do mercado e prazos muito apertados, com o intuito de venderem seus produtos e seus serviços a todo custo.

A grande dúvida é: como, então, localizar o fornecedor que possa garantir a qualidade dos produtos e que realmente tenha competência para desenvolver os serviços contratados?

O CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia é a instituição brasileira que garante a confiabilidade de projetos, obras e serviços essenciais para toda a sociedade.

Portanto, as empresas registradas no CREA recebem orientação, fiscalização, valorização e aperfeiçoamento do exercício profissional, ou seja, atendem a legislação e atuam dentro de padrões altos exigidos para que projetos e obras tenham sucesso.

A importância da contratação de fornecedor credenciado - Lajes Continente

Fonte: Lajes Continente

 

Qualidade, confiança e satisfação


A contratação de uma empresa credenciada junto a um órgão que regulamenta as atividades de determinado segmento, é, sem dúvida, a melhor escolha por parte do contratante.

Sabe-se que o credenciamento obriga as empresas habilitadas a se enquadrarem às normas e leis, oferecendo soluções dentro dos padrões exigidos, investindo em treinamento profissional, o que permite o alcance às novidades tecnológicas da área.

Uma empresa registrada e credenciada junto ao CREA está qualificada a oferecer ao mercado o que há de mais moderno em termos de novidades e ao mesmo pronta para atender e oferecer a seus clientes confiabilidade e satisfação.

Precisando de soluções em lajes, conte com a Lajes Continente e tenha certeza de obra bem feita!

Fontes:
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas
CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia

A importância da contratação de fornecedor credenciado - Lajes Continente

A Lajes Continente atua desde 1984 atendendo ao mercado da Grande Florianópolis, o que a consolida como uma empresa sólida, estruturada e reconhecida junto aos mais de 50.000 clientes que já atendeu.

Oferecendo o que há de melhor em lajes treliças e pré-moldadas comum, a Lajes Continente por meio do seu corpo de colaboradores, está pronta para atender de maneira personalizada as necessidades de cada obra.

Para isto, engenheiros capacitados e atendendo as normas técnicas legais, analisam cada caso individualmente e apontam as melhores soluções de acordo com as necessidades, garantindo segurança e conforto a seus clientes.

Sua linha de produtos oferece:

  • Lajes pré-moldadas comum;
  • Lajes treliçadas;
  • Caixa de luz concreto;
  • Enchimento EPS;
  • Malhas de distribuição / telas;
  • Enchimento cerâmico.

Com preços justos e tendo a qualidade como meta prioritária, a Lajes Continente está pronta para atender a qualquer necessidade envolvendo lajes.

Entre neste link para mais detalhes sobre a Lajes Continente, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Normas regulamentadoras e técnicas para andaimes – Podium Andaimes

Está pensando em reformar ou construir e necessita de equipamentos para acesso aos locais de mais altos? Leia nosso post e saiba tudo sobre andaimes!

Fonte: Pixabay

Quando se resolve pintar uma casa, normalmente lembramos quase de imediato dos apetrechos necessários para a realização do trabalho como pincéis e tinta.

No entanto, o que parece ser muito simples exige cuidados. E, dentre eles, o acesso aos locais altos e difíceis de serem atingidos.

Lembramos, então, da famosa escada, que infelizmente ainda é responsável por inúmeros acidentes.

Limpezas, pinturas, reformas e todo tipo de manutenção em prédios, que exigem o acesso a locais altos, precisam ser pensados com responsabilidade e tendo como prioridade a segurança de quem fará o trabalho.

Este post mostra como é mais seguro substituir as antigas escadas por andaimes, bem como as normas regulamentadoras e técnicas de utilização para deixar sua obra mais fácil e segura, continue lendo para saber mais!

 

Cuidados e acidentes com andaimes


Andando pelas ruas é comum nos depararmos com andaimes, principalmente em lugares com muitas obras.

É muito fácil de reconhecer aqueles que estão bem montados e que nos transmitem segurança e aqueles que se tem a impressão que virão abaixo assim que alguém pisar nele.

Infelizmente, o número de acidentes causados por improvisações e pela falta de segurança impressionam. Todos os dias trabalhadores chegam aos prontos-socorro com problemas sérios envolvendo contusões, ossos quebrados, perfurações e muitas vezes o óbito.

Para a diminuição desses números, existem normas que regulamentam a utilização dos andaimes, bem como técnicas que precisam ser obedecidas.

Está pensando em reformar ou construir e necessita de equipamentos para acesso aos locais de mais altos? Leia nosso post e saiba tudo sobre andaimes!

Fonte: Pixabay

 

Trabalhando com segurança


No Brasil, existem normas de segurança que regulam a utilização dos andaimes e dos trabalhos em alturas.

O objetivo destas normas é o de garantir a segurança do trabalhador, prevendo detalhes técnicos que certamente minimizam significativamente os acidentes de trabalho e garantem a segurança de quem está no trabalho.

A imensa maioria dos acidentes ocorrem por negligência e descuido e, para evitar essas situações, o Ministério do Trabalho em conjunto com algumas entidades apresenta normas que precisam ser atendidas para estes tipos de trabalhos, são elas:

  • NR 18: visa assegurar boas condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção civil;
  • NBR 6494: prevê normas para a segurança nos andaimes;
  • NR 35: normas estabelecidas para o trabalho em altura.

Todas estas normas são frutos de muita pesquisa e da necessidade em criar mecanismos que possam proteger o trabalhador.

 

A fabricação dos andaimes


Entidades como o
Comitê Permanente Nacional, o Comitê Permanente Regional e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia estão atentos à segurança e às melhores práticas na fabricação de equipamentos de apoio ao trabalhador de alturas.

Além da fiscalização, estes órgãos contribuem para o aprimoramento da legislação sempre no intuito da preservação da vida.

Por isso, existem normas para a fabricação dos andaimes, onde critérios precisam ser observados e um deles é a obrigatoriedade da empresa fabricante estar registrada junto ao CREA do seu estado e possuir um profissional qualificado (engenheiro) que faça parte do seu quadro de colaboradores.  

O CREA é o órgão que garante a confiabilidade de projetos, obras e serviços para a comunidade.

Está pensando em reformar ou construir e necessita de equipamentos para acesso aos locais de mais altos? Leia nosso post e saiba tudo sobre andaimes!

Fonte: Podium Andaimes

 

Quem contratar para evitar aborrecimentos?


A contratação de empresa especializada, registrada no CREA e que atenda a legislação, é fundamental para que tudo ocorra bem e sem imprevistos.

A improvisação normalmente acaba trazendo prejuízos e os riscos são grandes, afinal, ninguém deseja que alguém se machuque no seu canteiro de obras.

Equipamentos e materiais dentro das especificações técnicas, apoio e suporte para a montagem, experiência e seriedade, são fatores fundamentais na contratação de uma empresa fornecedora de andaimes.

Por isso, conte com a Podium Andaimes, empresa consolidada e preocupada com soluções responsáveis em andaimes.

Fontes:
CREA SC – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia
Ministério do Trabalho
CPN – Comitê Permanente Nacional
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas

Está pensando em reformar ou construir e necessita de equipamentos para acesso aos locais de mais altos? Leia nosso post e saiba tudo sobre andaimes!

A Podium Andaimes é a melhor opção de mercado quando o assunto é andaimes.

A empresa é registrada no CREA-SC e capacitada para oferecer as melhores soluções em andaimes para a construção ou reforma de imóveis.

A Podium Andaimes vende e aluga andaimes dos tipos fachadeiro, tubular, além de escoras metálicas e toda linha de acessórios.

Atendendo as exigências e normas técnicas, a Podium Andaimes está pronta para analisar e indicar a melhor opção para sua obra.

Entre neste link para mais detalhes sobre a Podium Andaimes, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Como evitar multas e prevenir a ocorrência de incêndios – Prevenfire

ebgesc

Desde o trágico incêndio na boate Kiss, na cidade de Santa Maria/RS, a segurança dos estabelecimentos têm tido merecido maior atenção e cuidado por parte dos legisladores para evitar novas ocorrências.

Na época a tragédia vitimou 242 pessoas e feriu mais de 600.

O fato é que cada empreendedor, por consciência, deveria atentar para os requisitos de segurança. Quer na construção e na estrutura de qualquer estabelecimento ou na execução de um evento de qualquer porte, principalmente recebendo ele público em geral.

Em muitos casos, infelizmente a conscientização para a prevenção do incêndio ainda não acontece e muitos estabelecimentos são punidos por não cumprirem com as normas de segurança.

Como evitar multas e prevenir a ocorrência de incêndios é o tema do nosso post. Leia mais.

 

As estatísticas sobre o incêndio no Brasil


De acordo com dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública e do Ministério da Justiça, o Brasil registra em média
267 mil incêndios por ano, incluindo os florestais e prediais, sejam residências ou comércio em geral.

O Brasil também ocupa o terceiro lugar no ranking mundial de mortes causadas por incêndio, incluindo matas, casas, trabalho e os chamados estruturais em geral.

Só em 2017, foram noticiados na imprensa 724 casos de incêndios estruturais.

Desse número, 153 ocorrências aconteceram em indústrias.

Os demais ocorreram nas mais diferentes estruturas, como supermercados, lojas, estabelecimentos comerciais, escolas, shoppings, entre outros.

O gráfico abaixo mostra o número de ocorrências divulgado pela mídia no ano de 2017 por estado, mostrando no topo o estado de São Paulo, seguido de Santa Catarina.

ebgesc

Fonte: Instituto Sprinkler Brasil

 

A lei para conscientização


A segurança contra incêndio deveria ser um ato de responsabilidade e consciência voluntária de todos os empreendedores.

Muitas tragédias poderiam ser evitadas se os estabelecimentos estivessem seguindo as normativas de segurança em relação a prevenção de incêndio.

Pois só por meio dela se torna possível:

  • Proteger a vida dos ocupantes das edificações;
  • Proteger edificações e vidas ao redor;
  • Diminuir danos materiais e ao meio ambiente.

E, infelizmente, ainda se vê locais sem a devida segurança para o público quando o assunto é incêndio.

Com o objetivo de conscientizar os proprietários e dar maior segurança aos frequentadores, em março de 2017 foi sancionada a Lei 13.425.

 

Sobre a Lei 13.425


Em 31 de março de 2017 foi publicada a
Lei 13.425 que estabelece regras gerais para todos os estabelecimentos públicos referentes às medidas de prevenção e combate a incêndio e a desastres.

A lei entrou em vigor em outubro, e recebeu o nome de Lei Kiss, uma forma de lembrar e combater tragédias como a da boate em 2013.

Desde outubro passado, então, os estabelecimentos devem estar dentro da regularidade exigida na lei.

A Lei 13.425 determina:

  • As novas regras de prevenção à incêndio e desastres;
  • Os profissionais que têm competência na expedição do alvará;
  • Os locais e estabelecimentos envolvidos, ou que deverão cumpri-la;
  • Os órgãos fiscalizadores.

 

Quais os estabelecimentos que devem se adequar à lei?


A lei abrange estabelecimentos, edificações comerciais ou de serviços e áreas de reunião de público cobertas ou descobertas que tenham capacidade para receber 100 ou mais pessoas.

No entanto, mesmo que o local abrigue menos de 100 pessoas, mas o público predominante seja crianças, idosos ou pessoas com dificuldades para se locomoverem a lei deverá ser cumprida.

A lei também vale  para todos os estabelecimentos que contenham em suas dependências grande quantidade de produtos altamente inflamáveis, como, por exemplo, as lojas e casas de fogos de artifícios e postos de combustível.

 

O que mudou com a lei?


A princípio pouca coisa mudou.  
A lei obriga o que na maioria dos casos já eram normativas de órgãos competentes, mas que agora serão cobradas pelo estado.

Lembrando que o Corpo de Bombeiros, por exemplo, usa como base orientações da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas que continuam válidas.

Destaques que a lei trouxe:

  • Confere responsabilidade legal para os engenheiros e arquitetos como fiscais;
  • Embora o cumprimento e a fiscalização sejam do estado, a análise das normas de prevenção de incêndios também envolve o poder público municipal;
  • A validade de um alvará de funcionamento será condicionada de acordo com a validade do projeto de prevenção de incêndio do local;
  • O estabelecimento deverá exibir em seu site, e no próprio local, o alvará de funcionamento e o projeto de prevenção de incêndio para verificação do público;
  • A prefeitura do município deverá manter em seu site uma lista com os nomes das empresas e estabelecimentos que estão em devido cumprimento com a lei.

A lei ainda torna obrigatório que os cursos de Engenharia e Arquitetura a nível universitário ou técnico deverão ter em sua grade curricular matérias que abordem sobre a prevenção e combate ao incêndio.

Além disso, os técnicos da equipe do Corpo de Bombeiros deverão passar por cursos de aperfeiçoamento de prevenção e combate.

Os locais que não estiverem regidos pelas normativas da lei serão passíveis de:

  • Advertência;
  • Multa;
  • Intervenção do estabelecimento;
  • Embargo do estabelecimento.

Lembrando que para renovar o alvará de funcionamento o estabelecimento deverá estar dentro das obrigatoriedades exigidas pela Lei Kiss.

As micros e pequenas empresas deverão obedecer às normas estabelecidas pelo poder público do município em que atuar.

 

Rigor na fiscalização


O Corpo de Bombeiros Militares dos estados é ainda o órgão que analisa, avalia, vistoria, aprova e fiscaliza as obras e os estabelecimentos quando o assunto é segurança de incêndio.

Embora com a lei Kiss, engenheiros, arquitetos e o poder público municipal também ter suas competências e responsabilidades em relação ao local e seu funcionamento.

Portanto, o melhor caminho para evitar multas e prevenir a ocorrência de incêndios é seguir as orientações do Corpo de Bombeiros do seu município.

Mas, algo que deve ser pensado é que as orientações de segurança ditadas pelo órgão, não deveriam ser cumpridas com o propósito de evitar multas.

Como dissemos, a prevenção de incêndio é cuidar da vida, promover segurança e evitar consequências maiores, portanto deveria ser um ato de responsabilidade e conscientização, e não apenas o cumprimento de uma lei para não sofrer penalidades.

De qualquer maneira é considerado crime e também prática abusiva o não cumprimento das regras estabelecidas na Lei 13.425 que está em vigor no estado e no país.

Ciente da lei e consciente das responsabilidades, a PrevenFire tem a solução certa para orientar e ajudar você e sua empresa quando o assunto é prevenção de incêndio.

Fontes:
Corpo de Bombeiros de Santa Catarina
Jornal do Dia
Câmara dos Deputados

ebgesc

Situada na capital catarinense, a PrevenFire está no mercado há mais de 20 anos, oferecendo segurança e conscientizando os proprietários dos estabelecimentos quando o assunto é prevenção contra incêndios.

A PrevenFire oferece sistemas de prevenção, bem como todo material necessário para a execução de projetos seguros. Todos padronizados conforme determinação do Corpo de Bombeiros.

A empresa mantém uma equipe técnica conhecedora das exigências contidas em lei, o que proporciona um trabalho de eficiência, segurança e qualidade desde a vistoria do projeto até o encaminhamento do laudo técnico para os bombeiros.

Dentro das atividades destacamos:

  • Para-raios ;
  • Sistema hidráulico preventivo – SHP;
  • Treinamento de brigada de incêndio;
  • Laudos técnicos para o Corpo de Bombeiros.

Conheça neste link todas as informações de contato da PrevenFire, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Regularização de edificações: Por que ela é necessária? – Cota 7 Engenharia

ebgesc

É muito comum ouvirmos relatos de pequenos empresários que iniciam seus negócios em ambientes residenciais, na própria garagem de casa ou em pequenos galpões no “fundo do quintal”, de forma informal.

De repente, esse mesmo empresário vê seu negócio crescendo e se depara com a obrigatoriedade de regularizar seu imóvel para poder atender a legislação.

Se o empreendimento está crescendo, é claro que também as funções administrativas e operacionais aumentam, e dispensar tempo para providenciar a regularização do imóvel nem sempre é possível.

No nosso post falaremos da importância da regularização de edificações e como essa tarefa pode ser simplificada e menos custosa ao contratar uma empresa especializada na área.

Continue lendo!

 

Por que preciso regularizar meu negócio?


À medida que uma empresa cresce, crescem também as necessidades de adequação às legislações vigentes. Muito provavelmente, você vai precisar contratar mais colaboradores, investir em equipamentos, adequar o espaço (edificação) na qual a empresa está instalada, entre outras benfeitorias que servirão para atender o crescimento da sua empresa.

Por exemplo: vamos supor que você tenha uma malharia, inserida em uma área da cidade cuja maior ocupação seja do tipo residencial. É necessário que sejam realizadas algumas adequações para que a poluição sonora e atmosférica (poeira), não prejudique os moradores do entorno. O mesmo vale para outros tipos de pequenos negócios.

Se a sua edificação não estiver regularizada junto aos órgãos públicos do seu município, sua empresa não terá acesso ao alvará de funcionamento.

A regularização de uma edificação não diz respeito apenas à atividade que acontece naquele espaço, mas também aos limites de uso e ocupação do solo, recuos dos limites do terreno, e outros parâmetros que são determinados pelo Plano Diretor Municipal de cada cidade especificamente.

A partir do momento que a edificação está regularizada e assim sendo possui um Habite-se, a mesma encontra-se apta a servir para o funcionamento de  determinados tipos de atividades, uma vez que está enquadrada na lei vigente.

Sem contar que, sem a regularização do edifício, não é possível proceder com qualquer modificação ou ampliação do local.

Então, se você está com o seu prédio irregular a melhor solução é a regularização o mais rápido possível.

ebgesc

Fonte: Montar um Negócio

 

Como legalizar a sua edificação?


Para que você entenda como legalizar a sua edificação de forma mais simples, precisamos fazer duas ressalvas:

1 – A regularização de edificações abrange construções já existentes, construídas fora dos parâmetros da lei. Este processo pode não ser possível para obras novas, dependendo da situação. Assim sendo: a construção já existe, mas precisa estar legalizada para exercer as atividades comerciais que nela já acontecem ou acontecerão.

2 – Cada município tem a sua legislação específica, e por este motivo, além das nossas dicas vale consultar também a viabilidade de regularização junto ao órgão competente da sua cidade.

Independente disso, o processo para regularização de uma edificação é burocrático e demorado. O trâmite necessário exige tempo, uma vez que envolve profissionais de diferentes áreas.

E, entre a documentação que deve ser providenciada pode-se mencionar:

  • Projeto arquitetônico;
  • Projeto hidrossanitário;
  • Projeto preventivo de incêndio;
  • Licenciamento ambiental da atividade (dependendo o caso).

A regularização envolve uma série de documentos, alguns dos quais muitas vezes o empreendedor não possui, ou encontra-se defasado em relação à situação atual da edificação. Normalmente, neste momento é que se torna indispensável a orientação de um profissional habilitado.

 

Qual a melhor opção para fazer a regularização da sua edificação?


Você pode se dirigir à Prefeitura do seu município e buscar informações sobre a regularização de seu edifício. Em alguns casos, em que já exista uma documentação básica (como projetos, por exemplo), este processo pode ser facilitado.

Caso contrário, você precisará providenciar os projetos arquitetônicos, hidrossanitário, e de prevenção contra incêndio, o que implicará na contratação de profissional habilitado. Isto pode ser realizado por diferentes profissionais, ou pelo mesmo, dependendo aí da área de atuação de cada um.

Por isso, a contratação de uma empresa especializada pode ser o melhor caminho, uma vez que ao centralizar todos os projetos em um único local e com profissionais próprios, acaba obtendo resultados relativamente mais rápidos com melhor custo/benefício.

 

Os benefícios em contratar uma empresa especializada


Existem empresas especializadas na área que fazem todo o processo de regularização de edificações. São empresas que contam em seu quadro de colaboradores, com profissionais especializados nas mais diferentes áreas para resolver as situações que possam surgir durante o processo.

A empresa contratada será responsável por todos os projetos necessários, até ter em mãos o Habite-se, documento que certifica que a obra está legalizada junto aos órgãos públicos municipais.

Com isso, você continua dedicando seu tempo a sua empresa, aumentando a produção, e deixa para a contratada a elaboração da documentação de regularização da sua edificação, de forma especializada e com conhecimento do que deve ser feito.

Se você é empresário, independente do setor de atuação, e está com a sua edificação irregular e quer providenciá-la de forma rápida e segura, consulte a Cota 7 Engenharia e solicite um orçamento com os melhores profissionais no mercado.

Fonte:
Cota 7 Engenharia

ebgesc

A Cota 7 Engenharia tem a sua sede na cidade de Brusque, no Vale do Itajaí, e está em atividades desde 2012 tendo como objetivo atender a necessidade de cada cliente.

Mantém um quadro de colaboradores multidisciplinar e altamente qualificado para oferecer soluções nos mais diferentes segmentos da engenharia.

A Cota 7 Engenharia é especializada em:

  • Projetos Arquitetônicos e Complementares de Edificações;
  • Licenciamentos e Estudos Ambientais;
  • Topografia e Infraestrutura Urbana.

A Cota 7 Engenharia organiza de forma eficiente e rápida toda a regularização de edificações, contando com a especialidade dos mais diversos profissionais.

Acesse neste link todas as informações de contato da Cota 7 Engenharia, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

A importância de sistemas preventivos para a conservação da história – ORBITAL Engenharia

O incêndio do Museu Nacional no Rio de Janeiro impactou a todos.

Junto com ele, as especulações da falta de alvará de funcionamento e a ausência de um sistema preventivo começaram a aparecer.

Alguns estados, como Minas Gerais, já estão se movimentando para averiguar se seus museus e imóveis de uso coletivo possuem sistema preventivo e se seguem as regulamentações federais, estaduais e municipais.

O post de hoje explica como funcionam os sistemas preventivos e qual a sua importância para museus ou imóveis de uso coletivo, continue lendo!

 

A importância de sistemas preventivos


No dia 02 de setembro de 2018, em um domingo, aconteceu uma tragédia que ninguém previu: um grande incêndio no Museu Nacional no Rio de Janeiro.

As horas se passaram e o incêndio continuava, levando com ele uma grande quantidade da história tão única do nosso país.

Infelizmente, o Museu Nacional não foi o único que teve a sua história consumida pelas chamas de um incêndio.

A Cinemateca (2016), o Museu da Língua Portuguesa (2015), o Memorial da América Latina (2013) e o Instituto Butantan (2010) são outros exemplos de locais importantíssimos para a cultura do Brasil que foram perdidos por incêndios.

Cinemateca (Foto: Reprodução/TV Globo)

 

Museu da Língua Portuguesa, em SP, (Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo)

 

Auditório do Memorial da América Latina, em 2013 (Foto: Marco Ambrósio/Estadão Conteúdo)

 

Fogo no Instituto Butantan, em 2010 (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Esses acontecimentos poderiam ter sido evitados se no local tivesse  instalado um sistema preventivo contra incêndio

Um sistema preventivo de combate contra incêndio tem como objetivo combater ou tentar combater as chamas antes delas se propagarem evitando um acidente de maiores proporções e proporcionar o bem estar  e a segurança das pessoas.

 

O que são sistemas preventivos?


Os sistemas preventivos são formados, basicamente, por três elementos:

  • Instalação de hidrantes;
  • Instalação de para-raios;
  • Instalação de alarmes, detectores de fumaça e/ou calor, saídas de emergência e sistemas de combate e prevenção ao fogo.

Cada um desses elementos tem uma função extremamente importante na prevenção de acidentes.

A instalação de hidrantes, nesse caso, serve para criar um sistema hidráulico que esteja disponível em caso de emergências.

Em relação ao Museu Nacional, a falta de um sistema hidráulico feito especialmente para o complexo causou a falta de água nos hidrantes, o que prejudicou o combate ao fogo.

Já a instalação de para-raios se dá para evitar descargas elétricas que podem comprometer o sistema elétrico e, claro, para evitar incêndios.

Para se ter uma ideia, o Brasil tem o maior índice de incidência de raios do mundo, cerca de 100 milhões de raios por ano!

Por essa razão, se torna essencial que qualquer local esteja bem protegido com para-raios.

Já a instalação de alarmes, detectores de fumaça ou calor e saídas de emergências é necessária para garantir a segurança dos colaboradores e visitantes dos locais.

A instalação de sistemas de combate e prevenção ao fogo tem a função de evitar que o acidente aconteça, e, se acontecer, seja rapidamente controlado.

O Museu Nacional não contava com um sistema antifogo, o que poderia ter reduzido drasticamente o impacto.

 

Sistema preventivo é obrigatório!


O que muitas pessoas não sabem, é que a instalação de sistemas preventivos não é uma opção, mas uma obrigação!

Em Santa Catarina contamos com as Normas de Segurança contra Incêndios, que orientam em relação aos seguintes itens:

  • Classificação de ocupação dos edifícios;
  • Proteção por extintores;
  • Sistema hidráulico preventivo;
  • Instalação de gás combustível;
  • Saídas de emergência;
  • Paredes corta-fogo;
  • Elevadores de emergência;
  • Dispositivo para ancoragem de cabos;
  • Proteção contra descargas atmosféricas;
  • Iluminação de emergência;
  • Sistema de alarme e detecção;
  • Sistemas de chuveiros automáticos;
  • Sistema fixo de gás carbônico;
  • Sistema de água nebulizada de alta velocidade;
  • Centro de processamento de dados;
  • Instalações industriais de líquidos inflamáveis;
  • Depósito, manuseio e armazenamento de explosivos;
  • Armazenamento de recipientes de GLP;
  • Caldeira estacionária a vapor;
  • Proteção florestal de mata nativa e reflorestamento.

Um bom sistema de prevenção deve levar todos esses pontos em consideração e, além de garantir o bom funcionamento do local, ainda deve dar segurança para os colaboradores e visitantes do local.

Agora que você já sabe qual a importância de um sistema de prevenção, entre em contato com a ORBITAL  Engenharia de Prevenção e Combate a Incêndios, especialista em segurança contra incêndios!

Fontes:
G1
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina
Estadão
ND Online

A ORBITAL Engenharia de Prevenção e Combate a Incêndios tem sua especialidade na criação de sistemas preventivos contra incêndios.

Dessa forma, sua área de atuação é a instalação de sistemas preventivos, execução e regularização de obras, entrega técnica e manutenção de sistemas preventivos.

Conta com uma equipe altamente qualificada e sempre com novos treinamentos, buscando oferecer seus serviços com a maior qualidade do mercado.

Todos os trabalhos da ORBITAL Engenharia de Prevenção e Combate a Incêndios têm acompanhamento técnico de engenheiros já habilitados.

Acesse neste link todas as informações de contato da ORBITAL Engenharia de Prevenção e Combate a Incêndios, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Sarah das Neves